Os desafios de um Sistema Legado

 em Go44, Indústria 4.0, Sem categoria, Sistemas Legados, Transformação Digital

Os sistemas legados são sistemas complexos que só permaneceram juntos porque foram continuamente corrigidos. Abaixo, discutimos sobre os maiores desafios que sistemas legados podem enfrentar.

 

Interoperabilidade. É a capacidade de dois ou mais sistemas de compartilhar informações e compreender e usar as informações trocadas. Também pode se tornar facilmente confuso e desafiador ao tentar interoperar um sistema legado com outros sistemas. Na verdade, vários problemas podem ocorrer, como incompatibilidade com o formato de dados, padrões de semântica de dados baixos e vários protocolos de comunicação. A empresa deve, em muitas ocasiões, preparar novas iniciativas para a transformação de seus sistemas em sistemas interoperáveis. Por exemplo, em sistemas existentes, a empresa deve corrigir interfaces ou criar mediadores que atuarão como tradutores entre os sistemas.

 

Melhorias. Fazer mudanças no sistema também é um dos principais desafios. É uma operação dinâmica, pois todo o sistema pode ser influenciado por quaisquer alterações. A correção de novos recursos de software, por exemplo, pode criar bugs (exibição da IU, formato de dados, etc.) ou até mesmo congelar todo o software em execução no sistema legado. Além disso, a utilidade dos aplicativos atuais e das funções e autorizações dos funcionários pode ser muito influenciada por mudanças nos processos de negócios.

 

Manutenção. Não é de se espantar que um dos maiores problemas que uma empresa enfrenta seja a gestão de estruturas legadas. De fato, manter a “máquina” funcionando sem problemas é difícil. No mundo da TI, a empresa deve ter (ou buscar à ter) a capacidade de modificar componentes defeituosos de sistemas, corrigir bugs, refatorar código para ter um sistema legado funcionando sem problemas e sem efeitos prejudiciais nos processos de negócios. Além de preservar a experiência de como operar todas as estruturas legadas no local de trabalho (incluindo software, hardware e processos relacionados).

 

Difusão de conhecimento. Na realidade, à medida que o sistema “envelhece” e novas funcionalidades se combinam com as antigas, o conhecimento do sistema se torna muito específico. Ou seja, o conjunto de habilidades necessário para sustentar, atualizar e executar a estrutura legada é exclusivo da organização. Também pode levar a silos de informação, tornando colaboradores indispensáveis e caros, e dificuldades na integração de novos funcionários.

 

Fontes

Autor

Gabriel Da Silva Serapião Leal, PhD – Autor convidado

Consulting Engineer na empresa Meritis, Paris, França (https://meritis.fr/)

Nos últimos seis anos, Gabriel sempre foi diligente na solução de problemas de sistemas de informação, independentemente do campo de aplicação (Setores: automotivo, pesquisa, financeiro). Detentor de um PhD em Ciência da Computação pela Universidade de Lorraine na França em parceria com o Instituto de Ciências e Tecnologia de Luxemburgo. Ele se interessa principalmente por interoperações entre sistemas complexos, modelagem de sistemas e transformação digital.

Postagens Recomendadas

Deixe um Comentário